15.10.16

SEAS | Confuso, porém, inteligente

Bom dia, crianças! Tudo bem com vocês? Não? Não importa, eu estou ótimo.

Depois de resenhar Vidas Expostas, de Everton Brandão (TVN) publicada no TOPFRONT!, da UP, recebo a proposta de resenhar SEAS, de Rafael Oliveira, exibida pela UP. A primeira semana de estreias da Fall Season foi bastante movimentada, e juro que eu quase declinei do convite em criticar essa série. Será que meu dia não será divertido? Vejamos...

SEAS conta a estória de Lívia (Maria Flor) que tem a vida transformada quando é recrutada para ser prostituta no maior esquema de exploração sexual, ocorrendo no maior navio do mundo, o EMPIRE, da companhia de cruzeiros marítimos, SEAS. O esquema é comandado por Orlando (Enrique Díaz), o chefe de cruzeiro, e pelo Capitão, Búlgaro Damasceno (Daniel Filho). Só que Regina (Adriana Esteves) embarca nessa furada junto do marido Mauro (Tuca Andrada) e acaba descobrindo tudo. Agora, Orlando vai querer matar todos para, enfim, livrar-se da culpa.

Pois bem, adianto que estou adorando essas publicações em PDF, simpatizo muito com o Scribd; O texto fica mais atraente. Primeiramente, formatação ótima, mas o conteúdo é o que importa, então resolvi separar os pontos negativos e positivos.

PONTOS NEGATIVOS

"Sem negócios, não tem ócio"

De imediato, não entendi. Tentei, então, poetizar: Sem trabalho, não há negócios, e sem negócios, não tem ócio. Uma vez que ócio é a arte de não fazer nada, ter tempo para ser criativo, inovar. Assim sendo, podemos trabalhar essa criatividade e transformá-la em um negócio. E tendo negócios, podemos criar...Brincadeira, crianças, não é nada disso, mas o importante é que vocês leram até aqui.


Ócio significa descanso, tempo livre, sombra e água fresca, só que para ter tudo isso é preciso ir aos negócios, faturar. Entenderam? Porque eu custei.

"Um HOMEM, engravatado, por volta dos 40, anda de costas."

Se ele estivesse com a camisa estampada na frente também daria pra ver nesse ângulo? Não, continuemos...

"RIL
Empire não seria um projeto
revolucionário sem os investimentos
de toda a Corporação. [...] os
muitos investimentos em cidades
andandetes...sobre o mar."

"andandetes"? Procurei no google, mas só achei a versão "andantes", talvez seja um primo distante...

"ORLANDO
O retorno é suficiente para ir ao
espaço e trazer um alien...
(sorri)
Um alien disposto a aplaudir, de
pé, os nossos negócios."

O autor tem uma obsessão por aliens...Contabilizei 3 menções. Nada contra, mas é aquecimento para um próximo filme?

"Mais uma vez, agradeço a todos os convidados
e presentes nessa festa."

Alguns diálogos, principalmente entre Orlando, Búlgaro e Ril soaram rebuscados para mim; Precisei reler.

PONTOS POSITIVOS

As primeiras cenas tratavam-se do passado, e arrisco-me a dizer que o não uso do recurso "flashback" não estragou a cena; Pelo contrário, surpreende os mais desatentos.
A narrativa, enquanto cenas das pessoas recrutadas para o navio eram descritas, foi tão importante e ágil como também foi um recurso bastante inteligente para evitar cenas maiores e desgastantes sobre o passado desses personagens. A apresentação do teaser foi maestral!

Diálogos fortes, cenas bem construídas, roteiro impecável. Estou profundamente decepcionado com a UP...Até o momento, não vejo motivos para falar mal de ninguém kkkkkkkk. Apesar dos erros cometidos e da confusão de início (com diálogos de Orlando que, para mim, beiravam a filosofia), SEAS tem o clima de forte suspense, um drama real misturado à ficção, uma estória densa. Não gosto de dar nota, mas que tal 9,0?

Meu dia está sendo péssimo. Vou atrás de uma super produção de verdade diversão...

0 comentários: