1.3.18

GAME OVER | Reality apresentou desafios e diversão, mas pecou no tamanho

Tamanho é documento pra você? Novo programa da Megapro traz entrevista, desafios e quiz em 20 páginas.



Anunciado com um programa exclusivo, o Game Over estreou no último sábado sob a apresentação de Vinícius Guimarães e direção de Vítor Abou, pela Megapro.

Antes de continuarmos, quero deixar claro que a resenha a seguir contém UM ELOGIO descarado. Peço que, se tem alguém aí avesso a elogios, não desça a rolagem.




Eu avisei, hen!
Bem, fugindo dos recentes programas de gosto duvidoso, parece que a direção resolveu mudar os ares da emissora e trazer entretenimento de verdade. Game Over é um reality show onde 3 pessoas precisam dar o melhor de si, na escrita e no quiz.

Rennan Lopes foi o convidado de estreia e participou de uma entrevista que, pela primeira vez, dentro da emissora, foi a melhor entrevista que li. Foi divertido, na medida e com revelações picantes em um horário permitido, fiquem tranquilos, crianços. Quer saber todas as minhas considerações sobre o Game Over? Continue a leitura!

O desafio da escrita

Os 3 autores (Rômulo Guilherme, John Erick e Edi Santos) foram desafiados a escrever a história contada por Rennan Lopes durante a entrevista. Eu não posso opinar, não cabe a mim dizer que eu gostei mais da versão literária escrita por Rômulo Guilherme (autor de Mano a Mano) e a de Vinícius Guimarães (embora não estivesse valendo para a pontuação), mas...


Quando digo que não vou opinar...


...foi um desafio bem desafiante mesmo.

O quiz cultural do Game Over

Depois que o autor pontua na primeira parte, é hora de testar os conhecimentos dele ao lado de Rennan Lopes. A ideia era saber se o autor escolhido com o melhor texto continuaria com o posto ou perderia, levando Rennan Lopes a escolher o segundo melhor texto.

O quiz contou com temas literários e de português, mas só pontuava quem fosse rápido. Se fosse eu alí, chutava, respondia Machado de Assis, Clarice Lispector, só para bancar a intelectual, dizer que entendo do ramo, só não lembro bem quem escreveu o quê.




Mentira, gente, conheço muitos. Podem me testar. (pulem essa parte).

O desafio de reescrever uma cena de novela

O 3º desafio era reescrever um trecho do roteiro de Celebridade em um formato diferente. Como você já percebeu, apenas John Erick e Rennan Lopes passaram para os duelos, deixando os outros autores na reserva. Faz parte do show, meu amor.

O que me chamou atenção foi que a ideia inicial dos games não foi cumprida: se John perdesse, Rennan escolheria o segundo melhor texto. Porém, Rennan ganhou nos games, e Vinícius perguntou quem pontuaria. Rennan deixou o ponto para John. Será que entendi bem?




Pontos positivos


  • Apresentador espontâneo, sabe entreter;
  • Divertido;
  • Desafios empolgantes;
  • Sem baixarias.

Pontos negativos

  • Texto muito grande, sublinhado e sem fluidez

É bom destacar que o problema, necessariamente, não é o texto ser grande (ainda que seja um fator que precisa ser repensado, no caso de programas), e sim a falta de fluidez do texto em relação a parágrafos longos e todos colados um no outro. Quem trabalha com redação para web, já sabe que o leitor tende a se cansar nas primeiras linhas ao se deparar com um texto imenso, sem o famoso "pular linha".

O mesmo vale para programas virtuais. Além disso, os parágrafos sublinhados quase me fizeram visitar o oftalmologista. Sério. A leitura se torna cansativa desse jeito e, quando vemos, estamos pulando as melhores partes sem saber.

Portanto, parágrafos mais curtos é a palavra-chave para programas e blogs, uma estratégia para prender o público até o fim da página. O texto de Game Over é muito bom, mas gostaria de conseguir acompanhar, sem esses pontos negativos.

E você já conferiu a estreia de Game Over? O que achou? Deixe seu comentário aqui ou no grupo do Blog da Zih (ou outros grupos de divulgação), no Facebook.



0 comentários: